Dicas de livros infantis

  • Acompanhe

Pela valorização da cultura brasileira

13 setembro, 2015, Paula Saretta Dicas de livros infantis 2


Pela valorização da cultura brasileira

A relação do homem com o alimento precisa ser revista. Precisamos aproximar o saber do comer, o comer do cozinhar, o cozinhar do produzir, o produzir da natureza; agir em toda a cadeia de valor, com o propósito de fortalecer os territórios a partir de sua biodiversidade, agrodiversidade e sociodiversidade, para garantir alimento bom para todos e para o ambiente.

Manifesto do Instituto ATA – do chef de cozinha Alex Atala

Em tempos de consumo de alimentos sem muita reflexão, por pressa, por comodismo, pela facilidade que os alimentos industrializados nos proporcionam, parece cada vez mais necessário refletirmos sobre nossa relação com o que comemos. Dias atrás recebi a indicação de um livro infantil interessante, original e gracioso: o livro “Folclore em versos: Delícias do Brasil”, de Ieda de Oliveira, com ilustrações de Luciana Grether Carvalho (editora Zit). O livro conta, em forma de poesia, da riqueza da diversidade da culinária brasileira de Norte a Sul. As poesias são escritas com característicos das cantigas populares, com versos e rimas.

Delicias do Brasil 2No Norte a gente encontra

Uma sopa de Turu

Um bicho de coco assado

E um gostoso de um beiju.

Tem o pato no tucupi

Moqueca de pirarucu

Tartaruga com mandioca

E a farofa de turu”.

(páginas iniciais do livro)

E ainda existem algumas receitas ao final do livro, como curau de milho, beiju e paçoca de amendoim. Receitas simples e com a intenção de incentivar as crianças a colocarem a mão na massa e brincar com os alimentos. A autora também incentiva a plantar a própria hortinha em casa e o consumo de alimentos orgânicos e saudáveis. Mas não é só isso. Moramos num país em que a maior parte dos pratos que comemos e são valorizados nos grandes centros não são propriamente brasileiros. E se pensarmos um pouco mais além, percebemos que não consumir e não conhecer as possibilidades de alimentos e produtos tipicamente brasileiros, deixamos de valorizar os pequenos produtores, de refletir sobre a origem dos produtos, sobre o consumo de modo consciente, etc.

Alguns chefs brasileiros como Alex Atala e André Mifano têm se dedicado a não só inovar na cozinha, mas também a chamar a atenção para a sustentabilidade e a nossa relação com o alimento. Como diz Atala: “(…) uma cozinha que não fosse somente boa de comer, mas que fosse saudável pra quem faz, para quem come e para quem produz” (Instituto ATA). Iniciativas fundamentais para mudarmos a cultura alimentar do nosso país e conscientizar cada vez mais as pessoas a observarem o quê e como se alimentam.

O assunto é ainda mais sério quando pensamos nas nossas crianças. O escritor Pedro Bandeira faz o prefácio do livro “Folclore em versos: Delícias do Brasil” e resume, também em forma de rima, a preocupação com a alimentação em uma fase tão crucial:

“(…) Isso então significa

Que não há mesmo mudança

E comida nutritiva

Não combina com criança?”

Combina sim. Pelo menos deveria combinar. A criança está em pleno desenvolvimento, como podemos aceitar que elas se alimentem de produtos sem qualidade, sem diversidade, sem variedade e sem benefício para seu crescimento saudável?